Mandato da Vereadora Soninha Francine

BlogHomeInstagram

O próximo governo não será capaz de nos destruir

10 de outubro de 2018

Na segunda-feira, construindo pensamentos para não só superar minha tristeza mas também para não contribuir com a tristeza das pessoas à minha volta, percebi: seja quem for o próximo presidente, o Coiso ou o “é Lula”; sejam quais forem as imensas dificuldades que vamos enfrentar nos governos nacionais e estaduais; sejam quais forem as barbaridades que vamos assistir nos parlamentos – a vida continua com sua imensa riqueza e variedade, e coisas boas continuarão acontecendo enquanto e apesar dos governos…

Se hoje temos muito mais consciência quanto à reciclagem e são as crianças que ensinam os pais sobre coleta seletiva, não foi porque os governos agiram. Se casais LGBT, apesar de todo o ódio e repulsa de alguns, hoje namoram no metrô sem serem importunados (mesmo que torçam o nariz), não foi porque as leis e os governos reconheceram seu direito e assim determinaram. Foi porque ~a cultura~ mudou, à custa de muito engajamento, muito esforço, muitos textos, muitas músicas e poemas, até muitas novelas.

Veja, eu amo política e quero trabalhar sempre na área pública, porque não tem nada mais forte e poderoso – exceto a cultura!

Luto por leis e serviços públicos, por educação e campanhas governamentais, por reciclagem e lixo zero. Quis ser vereadora para poder lutar com mais efetividade do que nas minhas ONGs, passeatas e programas de TV. Mas se antes eu era sociedade civil e ficava aflita procurando aliados na Câmara, hoje estou na Câmara e, quando queremos produzir alguma transformação significativa, fico procurando a sociedade civil para nos apoiar!

Governos reagem à sociedade mais do que sociedades reagem a governos e instituições. Se hoje pessoas T (travestis e transexuais) podem usar nome social no título de eleitor e retificar seus documentos de identidade no cartório, foi porque o Temer garantiu? Nem ele, nem a Dilma, nem o Lula (o PT costuma falar da pauta LGBT como se nunca ninguém tivesse feito nada, e como se eles tivessem feito muito…). Foi porque parte da sociedade se movimentou consistentemente – e não foi a parte que quis só escandalizar os conservadores, porque isso infelizmente não ajudou, só dividiu mais 🙁 … – e isso acabou convencendo autoridades a ampliar a garantia de direitos.

Alguns governantes são visionários e bancam posições arrojadas; outros são reacionários e atrasam a vida. Mas a sociedade, Glória a Deush!, não vira toda violenta porque o líder é violento (sim, tô falando “dele”), e nossas combalidas instituições democráticas vêm resistindo aos terremotos que nos assolam desde que eleições foram reinstituídas no Brasil… Muita coisa ruim aconteceu nos últimos anos, meses, semanas e dias… Muita violência… Muita. Simbólica, física. Mas as pessoas continuam acordando, trabalhando, plantando, estudando, ajudando umas às outras…

O próximo governo não será capaz de nos destruir. Juro.

CompartilharShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Last modified: 6 de dezembro de 2018

Comments are closed.

X