Mandato da Vereadora Soninha Francine

Secretário apresenta dados de drenagem e combate a enchentes

12 de abril de 2019

O Comitê Extraordinário de Chuvas e Enchentes da Câmara Municipal recebeu nesta quinta (11) o secretário-adjunto da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras da cidade, Mario Mondolfo. Ele apresentou o cronograma de obras de drenagem e combate a enchentes e alagamentos na cidade previsto pela Prefeitura até 2020.

Segundo o secretário, os projetos principais do Executivo envolvem a construção de cinco piscinões, todos com as obras em andamento ou aguardando captação de recursos do Governo Federal para execução.

A previsão é que a obra de drenagem no córrego Ipiranga, na zona sul da cidade, seja concluída ainda neste ano. A região normalmente é uma das mais afetadas pelas chuvas.

“Esse piscinão, que fica na altura da avenida dos Bandeirantes, vai ser uma grande ajuda para conter as cheias que atingem o Ipiranga. O nosso principal objetivo é reduzir as áreas inundáveis da capital em cerca de 15% até o ano que vem”

As ocupações irregulares nas margens dos córregos foram outro problema apontado pelo secretário-adjunto. Uma das obras para o córrego Aricanduva, na zona leste, requer a desocupação de 470 famílias.

Soninha, relatora do comitê, disse que o Poder Público deve se preocupar em integrar outras pastas fundamentais à conclusão desses projetos, como é o caso da Habitação.

“Na região do Aricanduva, existem unidades habitacionais que já estão prontas, mas as pessoas não podem ser transferidas para esses prédios porque eles não têm o Habite-se, e quem fornece isso é a prefeitura”

O Habite-se é o certificado expedido pela prefeitura para atestar a conclusão da obra, em conformidade com as exigências legais do município. Segundo a vereadora, além dos desafios orçamentários, solucionar o problema das enchentes também esbarra em questões estruturais e sistêmicas, que precisam ser resolvidas.

Dados da prefeitura apontam que foram empenhados R$ 375 milhões para as ações preventivas contra enchentes em 2018. Mas, além do orçamento municipal, o investimento na área depende de repasses do governo federal por meio do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), recursos que diminuíram nos últimos anos, de acordo com a administração municipal.

Foto: André Penner/AP
CompartilharShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Last modified: 12 de abril de 2019

Comments are closed.

X