Mandato da Vereadora Soninha Francine

Soninha é relatora da CPI da Violência contra a Mulher

17 de março de 2020

Foi realizada na tarde desta terça-feira (17/3), na Câmara Municipal de São Paulo, a instalação da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Violência contra a Mulher. O objetivo da comissão é investigar problemas relacionados à violência contra a mulher na Capital.

A vereadora Sandra Tadeu (DEM) foi eleita para presidir os trabalhos da Comissão. A vereadora Juliana Cardoso (PT) foi escolhida vice-presidente e a Soninha relatora.

Para a presidente da CPI, vereadora Sandra Tadeu, a comissão tem papel essencial no enfrentamento à violência contra a mulher.

“O Brasil é o quinto país no mundo com mais casos de agressão e morte de mulheres. Isso é algo que nós temos que discutir sempre porque, apesar da promulgação da Lei do Feminicídio em 2015, há um aumento alarmante no número de casos no país. É preciso conscientizar a população!”.

Violência infantil e assistência à mulher

Segundo a vereadora, a CPI também vai dar atenção aos casos de violência infantil.

“Em números, mais de 90% dos casos de agressão acontecem contra meninas, crianças e adolescentes. Essa situação causa traumas não apenas para a vida daquela criança, mas até para futuras gerações”.

Os membros da CPI aprovaram, ainda, requerimento de autoria da vereadora Juliana Cardoso. A parlamentar quer informações, junto às secretarias municipais de Assistência e Desenvolvimento Social e de Direitos Humanos e Cidadania, sobre os serviços e equipamentos de acolhimento à mulher durante o regime de funcionamento diferenciado dos órgãos públicos municipais, devido ao surto do novo coronavírus (Covid-19) na cidade de São Paulo. Sobre o assunto, Sandra Tadeu explicou que:

“Nossa preocupação é que esse é o tipo de trabalho que não pode parar. Há funcionários ligados à saúde, à segurança, à assistência social, que são responsáveis pelo funcionamento de equipamentos como a Casa da Mulher Brasileira, que não pode ser fechada, pois realiza um trabalho contínuo”.

Também participaram da reunião desta terça-feira o presidente da Câmara, vereador Eduardo Tuma (PSDB) e a vereadora Noemi Nonato (PL). Acompanharam a instalação da CPI os vereadores André Santos (REPUBLICANOS) e Paulo Frange (PTB).

Iniciativa da ex-vereadora e agora deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL), a CPI da Violência contra a Mulher se reunirá a cada 15 dias, às terças-feiras, entre 11 horas e 13 horas.

CPI da Vulnerabilidade da Mulher

Em 2017, a Soninha foi vice-presidente e relatora da CPI que investigou as condições de vulnerabilidade das mulheres na cidade de São Paulo. Foram debatidos temas como mercado de trabalho, segurança e saúde, além da violência. Em cada assuntou foram feitos encaminhamentos, entregues aos secretários das respectivas pastas. Saiba mais aqui.

*Com informações do site da Câmara Municipal de São Paulo.

CompartilharShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Last modified: 19 de maio de 2020

Comments are closed.

X