Mandato da Vereadora Soninha Francine

Se precisar de ajuda – salve a imagem

7 de julho de 2020

A nossa equipe preparou uma imagem interativa para que, discretamente, vítimas de violência doméstica possam pedir ajuda. E a Soninha escreveu o texto abaixo com outras sugestões:

Clique aqui para salvar no seu computador ou celular, compartilhar e usar se precisar. <3

A vítima de violência doméstica pode ter muita dificuldade para pedir ajuda.

Por medo do agressor, que está sempre muito próximo, ou por questões culturais (que fazem com que a vítima seja questionada e responsabilizada), entre outras.

Até mesmo pela dificuldade em reconhecer que está acontecendo a violência, o que faz com que a situação se agrave muito antes que ela procure auxílio.

Existem várias ferramentas à disposição das mulheres usando a tecnologia para apoiá-las nessa situação, e nós oferecemos mais uma.

Essa ilustração, que pode ser “salva” na memória do seu celular ou “favoritada” em uma conversa, conecta a pessoa a ligações telefônicas (central 156 da prefeitura, 190 – Polícia Militar, 133 – Guarda Civil Metropolitana, 180 – Disque Denúncia), APP SP+Segura e à página do Boletim de Ocorrência Eletrônico da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo.

Se precisar telefonar discretamente, pode clicar no local indicado. Ou pode fazer seu boletim de ocorrência pela internet, voltando rapidamente para a ilustração se tiver de “disfarçar”.

É desagradável pensar nisso, mas TER UM PLANO é superimportante para o caso de uma emergência. Seja com a nossa ilustração, seja com outras ferramentas, prepare-se para quando precisar.

Outras sugestões:

– Salve o telefone de uma pessoa de confiança – amiga, irmã, amigo – nos favoritos do seu celular. Pode usar um nome “fake” para não chamar atenção: Tia Zelia, Disk Remédio etc.

– Você também pode salvar um telefone de emergência usando essa tática.

– Pinte um X com batom na palma da mão e mostre em uma farmácia. Uma rede treinou seus funcionários para oferecer ajuda nesses casos; a ideia se espalhou e, mesmo que não saibam exatamente o que fazer, os funcionários ao menos vão saber que algo está errado.

– Escreva o pedido de ajuda em um papel qualquer e entregue para alguém quando puder, com informações básicas: seu nome, endereço, o que você quer que seja feito.

– Pense em como sair de casa na hora do aperto (precisa ter uma chave de emergência?) e para onde ir (se não quiser acionar a polícia de imediato, é direito seu).

CompartilharShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Last modified: 8 de julho de 2020

Comments are closed.

X