Mandato da Vereadora Soninha Francine

Vídeos

Pessoal, olha como foi a semana do nosso mandato aqui na Câmara Municipal de São Paulo.

No final de setembro a Soninha deu uma palestra sobre o BE-A-BÁ das contas públicas: os investimentos em cada área, o que é congelamento, como pagamos as dívidas e muito mais. Veja como podemos fiscalizar, acompanhar e cobrar a aplicação do nosso dinheiro.

 

Parte I

Parte II

Parte III

Parte IV

Parte V

A Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, do Adolescente e da Juventude, presidida pela Soninha, concluiu na semana passada a análise do Projeto de Lei que define o papel dos conselhos tutelares em São Paulo. Veja a reportagem da TV Câmara.

Acompanhe algumas das atividades que o mandato da Soninha realizou ao longo da semana entre 30 de setembro e 6 de outubro.

Acompanhe algumas das atividades que o mandato da Soninha realizou ao longo da semana do dia 23 de setembro.

Oi, pessoal. A partir desta semana vamos ter o resumo do mandato toda sexta-feira.

A Audiência Pública da Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa (CCJ) debateu a criação da Política Municipal sobre Álcool e outras Drogas, um assunto extremamente relevante para uma metrópole do tamanho de São Paulo e muito caro à Soninha. Assista:

LGBTI. Só o fato de você não saber o significado de cada letra nessa sigla já demonstra a necessidade dessas pessoas terem mais visibilidade. Mas há avanços e eles foram temas do evento “Políticas Públicas LGBTI – disseminar os avanços (tem!!) para impedir os retrocessos”, realizado no dia 27 de agosto pelo PPS Diversidade e apoio do mandato da vereadora Soninha Francine.

Representantes de vários partidos se uniram neste debate.

Copo meio cheio ou meio vazio?

A metáfora foi a base da fala de Salomão Cunha Lima, que lembrou a importância de reconhecer aspectos positivos.

Sobre a metade cheia, pontuou que “temos a legalidade da união homoafetiva em 47 países no mundo, entre eles o Brasil, a multiplicação das Paradas LGBT pelas cidades brasileiras, a alteração da definição de família pelo STF, permitindo a adoção de crianças por pessoas do mesmo sexo e a retificação do registro civil por mulheres e homens trans nos cartórios, por auto declaração”.

Olhando para o lado vazio, lembrou que ainda “precisamos trabalhar por temas como a criminalização da LGBTIfobia e a permissão da doação de sangue por homossexuais”. Ele ainda lembrou que dentro das Casas Legislativas, a “bancada conservadora tem se organizado e conseguido fazer reverberar a sua voz”, o que nos motiva a observar e pensar sobre maneiras efetivas de conquistar os objetivos.

A vereadora Soninha lembrou de como a bancada cristã se uniu para defender pontos como a anistia de multas por barulho a templos religiosos, em uma discussão recente na Câmara Municipal de São Paulo.

“Na democracia, quem se organiza tem mais poder. Somos muitos os aliados da causa LGBTI na Casa e é preciso sensibilizar quando houver pautas comuns. Pegar o microfone e explicar aos vereadores porque precisa ter um dia de visibilidade lésbica, por exemplo. Talvez a gente consiga converter um inimigo em alguém que seja apenas um adversário”.

Comunicação é fundamental

Gleuda Simone, representante da Diversidade Tucana no encontro, apontou para a sensibilização não apenas de parlamentares, mas da população como um todo.

“Se nós não soubermos lidar com a informação e com a comunicação para avançar nos processos de educação do país, vamos gerar gerações futuras também homofóbicas.”

A cultura de paz, as pautas positivas LGBTI na educação escolar, o respeito entre as pessoas e o combate ao radicalismo também foram apontados como políticas necessárias no país.

Pessoas x partidos

Patrícia Mannaro, Secretária-Geral da Aliança Nacional LGBTI+, trouxe a importância de que falas e visões estejam alinhadas dentro do movimento, de forma suprapartidária.

“As pessoas estão morrendo independente das preferências partidárias de cada um. O movimento precisa se unir. Se não nos fortalecermos, independente da bandeira, vamos perder espaços cada vez maiores”.

As vozes da cidade, São Paulo

E se as vozes e as demandas coesas são indispensáveis, também foi destacada como urgente que essas mensagens sejam ouvidas em São Paulo pelo atual prefeito Bruno Covas, pleiteou a Salete Campari, militante e ativista do PT (Partido dos Trabalhadores).

“Está na hora de todos os vereadores chamarem a comunidade LGBT para uma conversa com o prefeito”

E a execução das políticas?

Cassio Rodrigo, representante do PPS Diversidade e anfitrião do encontro, lembrou que além do Legislativo, o Executivo também deve estar no radar e ser ocupado por pessoas do movimento.

“Temos que entrar em espaços que são os executores da política. Há pouco tempo nós não tínhamos vez e nem voz. Em 2005, a coordenação LGBTI foi a última a ser criada em São Paulo…. O Rio de Janeiro já foi referência em políticas LGBT e foi tudo por água abaixo”

Ele explicou que isso ocorreu em terras cariocas porque as políticas eram de governo, ou de partidos, e não políticas públicas sedimentadas.

“No estado de São Paulo a lei 10.948/01 (que criminaliza discriminação em razão de orientação sexual) funciona porque não se trocou o partido. A gente não sabe se houver a mudança partidária o que acontece com a lei”

União da sociedade, o caminho

Para a Soninha Francine, o caminho é a união.

“Muitas coisas podem ser colocadas em prática quando você reúne os diversos atores para fazer junto. E a gente sempre precisa de articulação se quiser que um projeto realmente vire lei. Identifiquem quem são os introdutores que cada um tem mais acesso e fiquem de olho na gente. Os parlamentares precisam de vocês. Sem reverberação na sociedade o nosso poder de emplacar alguma coisa aqui é muito menor”.

Assista a íntegra do evento:

“Todes por uma única Bandeira” – Parte I

“Todes por uma única Bandeira” – Parte II

“Todes por uma única Bandeira” – Parte III

“Todes por uma única Bandeira” – Parte IV

Os vereadores que fazem parte da Subcomissão sobre Políticas de Drogas se reuniram na semana passada para discutir o projeto da Prefeitura de São Paulo que institui a Política Municipal sobre Álcool e outras Drogas.
Os parlamentares analisaram o Projeto de Lei e deram início à formação de um grupo de trabalho para aprimorar a redação do texto.

Outra tarefa da Subcomissão é dialogar com especialistas, realizar levantamentos e pesquisas, estudos etnográficos da Cracolândia e outras ações que possam ajudar na implementação do PL.

Confira a reportagem da TV Câmara:

A Soninha esteve no programa Transalouca, da Rádio Transamérica, e falou de temas como o lançamento de seu livro, população em situação de rua, drogas e muito mais!

Veja as fotos:

A vereadora Soninha Francine e o publicitário Alexandre Borges foram os representantes da esquerda e da direita no debate semanal do Pânico, nesta quinta-feira (23). Concordando em certos pontos e discordando em outros, a dupla debateu principalmente qual deveria ser o papel do estado na vida da população e até onde o liberalismo é o futuro para o país.

A Soninha utilizou a sessão plenária de ontem aqui na Câmara Municipal para relembrar o assassinato bárbaro de sete pessoas em situação de rua há 14 anos, na Praça da Sé. Mesmo depois de tanto tempo, ninguém foi preso.

Assista.

A Soninha aproveitou a Sessão Plenária de ontem (14/8) para falar sobre a aprovação de um Projeto de Lei que procura dar mais efetividades às medidas de proteção da Lei Maria da Penha. “A mulher tem direito de solicitar uma medida protetiva antes que coisas mais graves aconteçam”.

Veja o pronunciamento na íntegra:

A CPI dos Valets, de autoria da vereadora Soninha, retomou os trabalhos nesta terça-feira (14/8). Os parlamentares que compõem a comissão cobraram respostas dos diversos requerimentos enviados à Prefeitura de São Paulo sobre os estabelecimentos que utilizam os serviços, nas 32 prefeituras regionais.

Outras informações foram requisitadas, como disponibilidade dos equipamentos de fiscalização, o trabalho de vistoria e também o andamento da implementação do cadastro único em São Paulo.

Veja a matéria da TV Câmara:

Está acontecendo a discussão de um Projeto de Lei que trata sobre o funcionamento dos Conselhos Tutelares na cidade de São Paulo. Semana passada a Comissão Extraordinária Permanente dos Direitos da Criança e do Adolescente, presidida pela Soninha Francine, ouviu Conselheiros Tutelares, representantes de organizações sociais e do Ministério Público do Estado de São Paulo.

Veja a matéria da TV Câmara:

No dia em que a Lei Maria da Penha completou 12 anos, a vereadora Soninha Francine falou sobre as políticas públicas para as mulheres na capital paulista.

A Soninha aproveitou o Pequeno Expediente da sessão plenária do dia 2 de agosto para falar dos graves problemas que afetam a Educação e a Segurança no país.

A Soninha participou da abertura da 1ª Semana Municipal da Primeira Infância. O objetivo é promover o envolvimento da sociedade e das famílias na valorização e nos cuidados da primeira infância, idade que vai até os seis anos.

A Soninha utilizou a tribuna da sessão plenária do dia 1 de agosto para falar sobre a Política Municipal sobre Drogas.

Confira a terceira e última parte do Pingue-Pongue com Bonfá:

Confira a segunda parte do Pingue-Pongue com Bonfá. A Soninha abriu o coração e falou sobre família e seu relacionamento. Assista:

Em um bate-papo descontraído com o jornalista Marcelo Bonfá, a vereadora Soninha fala sobre paixões, emoções, pessoas em situação de rua, budismo e muito mais. Veja a primeira parte do “Pingue-Pongue com Bonfá.

A criação do Parque do Bixiga foi o principal tema de discussão durante a sessão plenária de ontem (6/6), na Câmara Municipal. A vereadora Soninha é uma das autoras do PL 805/2017 que institui o espaço.

A vereadora Soninha foi eleita por unanimidade presidente da Comissão de Defesa da Criança, do Adolescente e da Juventude, na última terça-feira (29/5). Composta por nove vereadores, a Comissão tem como responsabilidade receber, avaliar e proceder investigações de denúncias relativas às ameaças ou violação aos direitos da criança e do adolescente.

Outro objetivo é o de fiscalizar e acompanhar programas governamentais relativos à proteção dos direitos da criança e do adolescente, além de pesquisar e estudar sua situação no Município de São Paulo.

O Momento Jazz é uma série de gravações da Jazz Sinfônica Brasil em diversos pontos de São Paulo. Nesta edição dos clipes musicais da orquestra, o local escolhido foi o terraço da Câmara Municipal de São Paulo.

Confira:

O Parque do Ibirapuera é um dos pontos turísticos mais visitados de São Paulo. No dia 14 de maio a Prefeitura de São Paulo inaugurou lá o primeiro ponto público de coleta de lixo eletrônico. Outros parques da cidade também receberão pontos públicos de coleta, em uma iniciativa inédita no país. São eles:

  1. Parque Trianon – Rua Peixoto Gomide, 949
  2. Parque Prefeito Mario Covas – Avenida Paulista, 1853
  3. Parque da Independência – Avenida Nazareth, s/n
  4. Parque do Cordeiro Martin Luther King – Rua Breves, 968
  5. Parque Lina e Paulo Raia – Rua Volkswagen, s/n
  6. Parque Buenos Aires – Av Angélica, 1.500
  7. Parque do Povo – Av. Henrique Chamma, 420
  8. Parque da Aclimação – Rua Muniz de Souza, 1.119
  9. Parque Burle Marx – Av. D Helena Pereira de Moraes, 200
  10. Parque Piqueri – R. Tuiuti, 515
  11. Parque do Carmo – Av. Afonso de Sampaio e Sousa, 951 – Itaquera
  12. Parque Vila Guilherme/Trote – Rua São Quirino, 905

O que pode ser depositado nos pontos de coleta

Serão coletados computadores (notebooks e CPUs), impressoras, celulares, tablets, monitores e equipamentos eletroeletrônicos de pequeno porte, quebrados ou sem uso.

Os materiais serão selecionados e os que têm recuperação serão enviados aos Centros de Recondicionamento de Computadores (CRCs), que integram o programa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

A Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) vai gerenciar a Logística Reversa de equipamentos eletroeletrônicos.

Ranking mundial da produção de lixo eletrônico

O Brasil, segundo a Organização das Nações Unidades, é o segundo colocado no ranking dos países das Américas na produção de lixo eletrônico – só perdemos para os Estados Unidos e somos o sétimo maior do mundo!

Componentes dos equipamentos eletroeletrônicos como alumínio, mercúrio, cádmio, chumbo e lítio, por exemplo, são altamente tóxicos e se despejados sem critério na natureza contaminam o solo e o lençol freático.

Veja na reportagem da TV Câmara:

Soninha foi a entrevistada de hoje (7/maio) no Programa Pânico, na Rádio Jovem Pan. Emílio, Carioca, Amanda, Paulinha e os demais abordaram temas como o incêndio do prédio no largo do Paissandu, as ocupações irregulares e população em situação de risco, auxílio-moradia de juízes e vários outros assuntos.

Confira o programa:

– Incêndio no prédio ocupado no Largo do Paysandu

– Soninha fala sobre as ocupações em áreas de risco

– Auxílio-moradia a juízes? Soninha é contra!

– Soninha fala sobre o namoro com o Paulo e seus problemas

– Soninha detalha sua demissão na gestão Doria

– Programa na íntegra

Temas como o incêndio em edifício ocupado na região central, PPP da Iluminação e privatização do Anhembi foram discutidos.

No último final de semana um grupo ocupou irregularmente uma área de manancial, na zona sul de São Paulo. Veja o pronunciamento da vereadora Soninha sobre o assunto.

A Soninha explica pra gente tudo que envolve cargos comissionados e de carreira.

Comments are closed.

X