Mandato da Vereadora Soninha Francine

Com apoio da Soninha, começa o 31º Festival de Curtas Metragens de São Paulo

20 de agosto de 2020

Começa nesta quinta-feira, dia 20, às 19 horas, e se estende até o próximo dia 30, domingo, o 31º Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo. Inteiramente on-line e gratuito, o evento deste ano vai apresentar 212 curtas de 46 países, entre eles Brasil, Polônia, Israel, França, Alemanha, Peru, Estados Unidos e Irã. Os filmes poderão ser vistos na página do festival e pelo aplicativo innsaei.tv. A programação acontece também nas plataformas do Sesc e do Museu da Imagem e do Som (MIS), ambos de São Paulo.

O evento tem apoio do mandato da vereadora Soninha Francine.

Entre as produções brasileiras que serão exibidas no festival estão Barbie & Bob, de Raissa Gregori, Fermento, de Carlos Eduardo Ceccon, Lírio Vermelho, de Larissa Andrade, Shunkan, de Ricardo Albuquerque, e Verônica, de Talita Caselato. Homem de Alumínio, de Krista Werner (Austrália), A Pequena Alma, de Barbara Rupik (Polônia), HH, de Julián Setton (Argentina), e Ligue Depois da Meia-Noite, de Sabrina Tenfiche (França), são alguns dos filmes estrangeiros. O festival traz também uma programação de filmes infantis, como o australiano Corredores do Deserto, o brasileiro Difícil É Não Brincar e os espanhóis Gelo na Água e Meu Avô Conhece o King Kong.

O Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo acontece on-line pela primeira vez na sua história, em razão da pandemia do novo coronavírus. “O distanciamento social nos obrigou a repensar nossos modos de agir”, afirma a diretora do evento, Zita Carvalhosa, no texto de apresentação do festival. “São tempos inéditos para todos nós, e muito desafiadores. Por isso, poder trazer a público uma programação diversa, que contempla essa pluralidade imensa de olhares, sotaques e linguagens de todo o mundo, nos dá a sensação de que estamos contribuindo para trazer um pouco de vida a este momento tão difícil.”

Criadora do festival, em 1990, Zita reconhece que as sessões presenciais que o evento proporcionava anualmente não são facilmente substituíveis. Entretanto, ela considera que a decisão de exibir os filmes em sessões a distância é necessária. “Confiamos no distanciamento agora, para que em breve possamos todos nos encontrar novamente, em uma versão ainda mais calorosa e humana”, destaca a diretora. “O festival mantém seus programas de linha e especiais, e as palestras e seminários de nossas atividades paralelas se tornam lives.”

A programação completa do 31º Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo está disponível na página do evento. Clique aqui.

CompartilharShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Last modified: 20 de agosto de 2020

Comments are closed.

X